Novos caminhos para a luta anticorrupção no Brasil: do punitivismo à transparência

maio 3, 2021

Scroll

O Laboratório Anticorrupção da Purpose Brasil busca deslocar a percepção sobre o tema para um viés democrático

Falar sobre corrupção não é tarefa simples ou fácil de se fazer. Esse problema, que atinge de modo substancial diferentes países, é sistêmico no Brasil.

Nos últimos anos, esse tema ganhou novos contornos: a corrupção passou a ser um dos maiores problemas apontados pela sociedade em pesquisas de opinião e, segundo último levantamento, 67% dos brasileiros dizem que haverá mais corrupção no governo. 

O tema ainda foi destaque diário nos noticiários e virou até série do Netflix, inspirando movimentos conservadores que dominaram as ruas e o sentido da palavra corrupção. Esse cenário se acirrou especialmente com a maior operação de combate à corrupção, a Lava Jato, que também é considerada como a operação que corroeu as estruturas do judiciário brasileiro

O fato é que vivenciamos a própria corrupção da democracia, que culminou no governo de Jair Bolsonaro, eleito com essa bandeira. Desde sua posse, o governo enfraqueceu as estruturas de combate à corrupção, as políticas públicas e os direitos arduamente conquistados, rompendo o nosso tecido social. Nesse contexto, a luta contra a corrupção reforça os preceitos punitivista e moralistas da nossa sociedade.

Contra corrupção, a favor de direitos 

Como podemos deslocar a luta contra a corrupção para que fortaleça movimentos a favor da democracia, transparência e participação em políticas públicas, de modo a reduzir as desigualdades de acesso ao poder? 

É nesse contexto que floresce o Laboratório Anticorrupção da Purpose Brasil e a esse propósito que seguimos atuando. Campanhas e ações que busquem trazer a corrupção a partir da lógica da transparência, da redução das desigualdades, da participação e dos direitos de todos.

Na prática: distribuir poder e fortalecer as diferentes vozes

Para poder alcançar esse objetivo, o Laboratório atuado para: 

  • Ampliar as vozes impactadas pela corrupção: 

Quem mais sofre com a corrupção? Que vozes são essas e o que elas falam sobre o assunto? Narrativas Periféricas é nossa campanha que traz o olhar de coletivos de jornalismo periférico das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Foram produzidas 4 reportagens sobre corrupção e acesso à água, comunidades de fé e participação, participação social e representação, com uma divulgação em jornais, podcast, rádios comunitárias e carros de som pelas favelas.

Picture of person standing in front of crowded brazil City

Michelle Lacerda, coordenadora do coletivo A Rocinha Resiste

 

  • Engajar por direitos (transparência e participação)

E se a luta contra a corrupção for a luta a favor do acesso igualitário à informação, especialmente no contexto de pandemia? Esse é o norte da campanha Transparência da Vacinação. Em uma coalizão de mais de 50 organizações da sociedade civil, temos pressionado o Ministro da Saúde a liberar dados e informações fundamentais sobre a vacinação. O site de pressão também reúne as principais dúvidas e perguntas sobre o tema e as informações que já estão disponíveis, mostrando o valor da informação como um serviço.

 

  • Fortalecer o ecossistema de organizações: 

O que podemos aprender em conjunto com as organizações do campo? Quais capacidades, relacionadas à execução de campanhas, podem ser desenvolvidas? Para descobrir esse universo em conjunto, fizemos um teste de mensagem com duas abordagens: uma técnica acessível e outra de valores – justiça, cuidado e honestidade – para trazer inputs sobre qual mensagem engaja os mais distintos públicos. Para nossa surpresa, a abordagem técnica acessível engajou mais e tiramos uma série de aprendizados desse processo.  

Picture of a box with hands pointing to it, showing message testing

  • Dialogar com novas audiências: 

É possível falar com os mais diferentes espectros políticos – dentro do campo de diálogo e tolerância? Como? Essa pergunta tem nos movido a elaborar ações de diálogo com espectros conservadores dentro da pauta anticorrupção. Nos próximos meses, vamos mergulhar nesse desafio. 

 

Resgatar a essência do movimento

Ao fim, o que queremos é resgatar a essência da luta anticorrupção: sonho de que as pessoas possam ter seus direitos garantidos, por meio de um estado democrático e igualitário onde todas as vozes sejam ouvidas e representadas. Esse desejo arde no nosso Laboratório e com ele que seguiremos nessa luta. 

O Laboratório Anticorrupção do Brasil é apoiado pela Open Society Foundation. 


Resource:
Exploring Racial Equity Impact